Páginas

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Envelhecer é uma arte

Porque sou uma criatura de hábitos, há alguns anos criei uma rotina para o dia do meu aniversário.

Costumo acordar bem cedo, pouco depois das cinco da manhã. Tomo café com minha mãe, com bolo de chocolate e uma tacinha de champagne (eu sei, é cedo, mas é meu aniversário – o que justifica a comemoração – e é champagne – que pode e deve ser bebida a qualquer hora).

Depois, pego três livros que só são folheados uma vez por ano, no meu aniversário. O primeiro é The New Penguin Book of Love Poetry, antologia de poemas divididos por temas como intimidade, declarações, persuasão, celebrações, separações e outros. Abro o livro aleatoriamente e leio um poema qualquer, embora eu sempre retorne à página 25 para ler o soneto XLIII de Elizabeth Barrett Browning, que transcrevi em outro post.

O próximo livro é Resoluções para o novo milênio, um desses livros de auto-ajuda, com uma frase por página, todas sugerindo ações para melhorar a qualidade de vida individual e das pessoas à nossa volta. É uma ótima forma de fazer um balanço do ano que passou. Faço anotações nas páginas, indicando o ano e comentando como foi.

E, por último, o Guia das Idades, livrinho simpático que indica quem fez o quê, quando e com quantos anos. Abro na página referente à idade que completo e leio, por exemplo, que Michelangelo começou a trabalhar na Capela Sistina aos 33 anos. Com a mesma idade, Mary Wollstonecraft escreveu Direito das Mulheres e Injustiça dos Homens, até hoje um trabalho de sociologia bastante importante para quem estuda o tema Mulher. Não bastassem esses dois exemplos inspiradores, encontro mais um: George Lucas dirigiu o primeiro Star Wars com 33 anos.

33 anos. Agora que escrevo os números, que os vejo na tela do computador, é que finalmente percebo, nossa, como o tempo passa rápido. Tenho amigas que já são 10 anos mais novas que eu e um chefe que é só 10 anos mais velho. Tenho idade para ser mãe de uma estudante de ginásio. E realmente há uma que, embora não seja minha filha, me procura para obter conselhos sobre sua vida adolescente.

Hoje faço 33 anos. Envelhecer é uma arte. Tenho muita sorte de ter exemplos ótimos de como fazer isso sem enlouquecer.

4 comentários:

Anônimo disse...

Oi Bia. Parabéns pelo seu dia!
Que vc continue com essa disposição
de viver e claro, dividir um pouquinho com a gente nesse blog.

Um grande abraço,

Adriana/UNIP

Beija-Flor disse...

Parabéns.
Bj

Claudia disse...

Feliz Aniversário atrasado (não posso ver uma menção a aniversário e não responder).

Muitos anos de vida,


Claudia

Bia disse...

Obrigada a todas pelos votos!
Beijo da Bia