Páginas

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

A escrita de mim 07

Encontro

Venho de uma terra em que os homens andam a pé, e as mulheres, a cavalo.

Venho de um tempo em que nos enamorávamos de tudo o que era poético; de uma casa em que as paredes eram tão grossas que os segredos não as podiam transpassar.

Venho de uma escola em que as aulas eram abertas, os cursos eram completos e os pensamentos eram livres.

Venho de uma cozinha em que os sabores não tinham nomes, eram apenas sensações que explodiam em nosso juízo, nos faziam humanos.

Venho de um amor sofrido mas triunfante, breve mas constante, único mas efêmero.

Venho de uma gota de chuva que um dia molhou os teus cabelos quando voltavas para casa e ele não te seguiu.

Venho do único raio de sol que conseguiste enxergar quando, enclausurada, achavas que a vida não valia mais a pena.

Venho do alto dos prédios que cercam a tua casa, venho rente ao chão do jardim da praça onde passeias. Venho de um mundo em que nada mais existe.

Venho pedir-te que saias comigo, venho implorar-te que sejas minha.

Venho buscar-te para um passeio, venho salvar-te dos olhares que se fecham quando passas.

Venho roubar-te para devolver-te a alma, venho cantando para calar-te.

Venho sorrindo para que te lembres de que partirei um dia.

4 comentários:

Codinome Beija-Flor disse...

Bia,
Ler seu post, respirar fundo e pensar ...
"Venho de um amor sofrido mas triunfante"...."Venho sorrindo para que te lembres de que partirei um dia."...
Quem sabe... não voltar nunca mais de onde venho...

Lindo seu post.
Bj

Anônimo disse...

Turtle, darling! Ma-ga-vi-lho-so!

Bia disse...

Obrigada :)

Tici disse...

Bienta... Eu amei esse texto. Super inspirador e com uma estrutura maravilhosa. Super profundo e apaixonante.
Surpreendente!