Páginas

domingo, 27 de agosto de 2006

A amizade madura

Outro dia encontrei um amigo que não via há mais de dez anos... ele era namorado de uma amiga minha, o namoro acabou, nunca mais o vi.
O reencontro foi rápido mas, durante os dez minutos que conversamos, me contou sobre o casamento que não deu certo, a recente separação, ela ficou no meu apartamento, me mudei para um flat.
Não é incrível como a empatia entre duas pessoas faz com que dez minutos sejam suficientes para dividirmos nossas alegrias, angústias, frustrações, para fazermos uma rápida sessão de terapia amiga?
E quando nos separamos, pensei: porque mesmo que ficamos tanto tempo sem nos falarmos? A impressão que fica é que poderíamos ter sido melhores amigos, não fossem as circunstâncias e o ciúmes doentio daquela minha amiga de colegial.
Espero que ainda esteja em tempo, foi muito bom te reencontrar.

2 comentários:

Aarão disse...

Que Deus os ajude, pois amizades se encontram dificilmente, hoje em dia.

Bia disse...

Você que o diga, não?
Aarão, aqui no Casco a sua amizade não é simplesmente moeda forte - posto que moeda é passível de troca -, é um dos tijolos sobre os quais se fundamenta.
Um beijo!