Páginas

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Há alguns meses, Contardo Calligaris participou de uma sabatina na Folha de S. Paulo. Entre dezenas de coisas bacanas, ele falou que não adianta só tomar antidepressivos, é preciso fazer psicoterapia, ou seja, a palavra cognitiva é essencial para que os efeitos do remédio sejam potencializados e eficazes.

Em outro momento, ele diz que não podemos simplesmente tomar pílulas para tudo, para rir, para dormir, para esquecer. É lógico que uma pílula evita a tristeza, mas será que também não evita a alegria completa, plena, absoluta? Será que, da mesma forma que nos protegemos da depressão, não ficamos também privados da euforia?

Vale a pena assistir a Calligaris falando sobre o comportamento humano:

Um comentário:

Domenium disse...

Olá Bia!
Gostaria de saber como é o processo de revisão literária que você faz. Gostei muito do seu blog. O conheci através da revista Black Rocket.
Meu e-mail é: domenium@gmail.com

Abraço

Domenium