Páginas

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Em prol das livrarias independentes (2)

Gato preto passeia pela Shakespeare & Co, livraria independente em Paris
que resistiu a bombardeios de guerra e virou livro publicado pela editora Casa da Palavra


Já falei sobre livrarias independentes e como acho que elas devem se organizar para combater, juntas, a ditadura dos leilão de preços baixos imposta pela internet. Interessante é que, mesmo em um país como os Estados Unidos, em que as pequenas livrarias tem mais chance de prosperar porque há mais cidades de tamanho médio que comportam estabelecimentos desse tipo, as dúvidas quanto aos primeiros passos e como montar um negócio bem-sucedido são bastante parecidas com as do Brasil.

Em notícia publicada no Bookselling This Week, livreiros norte-americanos relembram a experiência, contam como foi e dão dicas para os iniciantes.

A idéia de abrir uma livraria sempre me atraiu, mas eu não saberia por onde começar. Primeiro, porque não sou empreendedora. Segundo, porque tenho a impressão que só têm saída os best sellers da lista da Veja (argh!) e livros infantis.

Acho que uma das saídas é optar por uma livraria especializada em um determinado tema. Nicho é a solução. Pode ser uma área profissional, como medicina, engenharia, arquitetura ou direito, ou interesses variados como música, meio ambiente ou náutica, ou determinados gêneros literários, como teatro.

Ainda assim, livrarias como a Mille Foglie - especializada em gastronomia, que ficava na Rua da Consolação, em São Paulo - ou a virtual Livraria do Crime - para quem tive a honra de prestar serviços como entrevistadora e correspondente especial na Flip 2007, sempre falando de literatura policial - sofreram um bocado. A primeira fechou depois de cinco anos, e a segunda suspendeu as atividades para reestruturação interna.

Minha vontade de ter uma livraria ainda persiste, latente, dormente no meu coração. Quem sabe um dia, quando eu deixar de ser medrosa.

2 comentários:

Liz red cat disse...

Esse gato não faz xixi nos livros? :)
Pergunto porque sou gateira e leitora fanática. Meus livros estão em estantes fechadas, adivinhem por quê?
Descobri agora o seu blog, vou ficar freguesa, principalmente por não achar nada sobre literatura policial por aí, exceto os chavões.
Abração
Liz

Bia disse...

Liz, seja bem-vinda!
Que bom que você gosta de literatura policial também. Vamos poder conversar bastante sobre o assunto!
Um abraço,
Bia