Páginas

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Literatura digital

O futuro do livro, em relação à internet, volta e meia, é assunto de discussão entre jornalistas, livreiros, editores e outros personagens do mercado editorial. A impressão que tenho, cada vez que leio ou testemunho essa discussão, é de que as pessoas acham que o livro em papel não pode coexistir com o meio digital, o que não é verdade. Em um pequenino artigo que escrevi para o Homem Nerd, falei sobre os bons frutos gerados pela relação entre literatura e a Internet.

Projetos como o Gutenberg ou o Domínio Público reúnem a íntegra de textos clássicos para download gratuito. Inúmeros blogs e sites se dedicam a divulgar a literatura de novos escritores, gente que nunca teria tido chance de publicar seus textos se não tivesse sido descoberta pela Internet.

É lógico que a questão dos livros eletrônicos precisa ser considerada, mas acho difícil que um e-book tome definitivamente o lugar do livro impresso. Para gente como eu, grifadores compulsivos, sublinhadores viciados, marcadores inveterados, um livro eletrônico não tem a menor graça.

Ainda assim, é bacana destacar que a tecnologia permite que os textos utilizem recursos inaplicáveis à dupla papel-e-caneta, principalmente no quesito interatividade.

Por exemplo, podemos escolher o nome dos personagens ou que características eles terão. Podemos apontar no mapa por onde o personagem andará, que lugares visitará. Podemos ler o blog de um personagem ou seguir seus passos pelo Twitter. Podemos acompanhar, em tempo real, o autor escrevendo uma história. Podemos escolher o rumo que a história tomará.

Tudo isso é um pouco do que os seis autores reunidos pela Penguin UK fizeram no projeto We Tell Stories. Durante seis semanas, o site do projeto publicou obras de literatura digital, textos amparados em ferramentas exclusivas da Internet.

Liberdade de criação adquire novo significado.

Um comentário:

Nanda disse...

Oi bia! amei o seu blog, inteligente, interessante e o melhor abrange a leitura de textos, concordo com a parte que diz "grifadores compulsivos, sublinhadores viciados, marcadores inveterados", me senti descrita como num raio x, parabéns pelo seu blog, sucesso, bjo pra todos os outros membros!!!!

fernanda silva