Páginas

segunda-feira, 17 de março de 2008

Um olhar darwiniano sobre a literatura

Já faz algum tempo, comprei Os ovários de Mme. Bovary, de David P. Barash e Nanelle R. Barash (Relume Dumará, trad. Cláudio Figueiredo), mas ainda não li.

A tese dos autores é a de que o comportamento humano, assim como o dos animais, foi moldado dia a dia, durante milhões de anos. A teoria darwiniana, que tanto influenciou o século 19, aplica-se a todas as criaturas vivas e influenciaria até o comportamento de diversos personagens literários. Segundo os autores, "os personagens de ficção são verossímeis quando revelam sua natureza humana, quer dizer, quando se comportam de uma maneira compatível com a expectativa biológica".

Não sei dizer se o livro é bom ou se a teoria se sustenta. Pareceu-me interessante, mas, atrapalhada com as leituras para minha monografia, o volume permanece intocado em minha estante. No entanto, essa semana, li no Assinado: tradutores a reprodução de um artigo da Veja, escrito, acredito, por ocasião do lançamento do livro em português.

Recomendo a leitura do artigo. Fez-me retirar o livro da estante e colocá-lo em cima da mesa, na pilhas "a ler, em breve".

2 comentários:

denise disse...

você concordaria em dar sua adesão ao abaixo-assinado ou seu apoio à causa dos assinado-tradutores?
denise bottmann

Bia disse...

Denise,

concordo, sim!

É só dizer o que preciso fazer.

Se preferir, pode escrever para cascodatartaruga@terra.com.br.

Um abraço,

Bia