Páginas

sábado, 23 de fevereiro de 2008

O carapuceiro

Inspiradíssimo, como sempre, Xico Sá coloca um sorriso no meu rosto e muitas idéias na minha cabeça com dois textos publicados aqui.

Será que só eu acho que ele é o máximo?

4 comentários:

Codinome Beija-Flor disse...

Acho, acho, acho!!!
Só mesmo uma pessoa verdadeiramente inteligente, não se incomoda com a inteligência alheia (foi exatamene o que falava com uma amiga, ontem durante o almoço, pessoas fracas odeiam os que são fortes, pessoas burras invejam os inteligentes, e mais um monte de outras coisas parecidas..), mas você!
Vem aqui, da forma mais solidária possível, deixa grandes dicas, tenta nos resgatar da falta de conhecimento e cultura (essa carapuça serve perfeitamente em mim, feia mesmo na medida certa), quando leio seus post´s percebo que não aprendi nadica de nada sobre literatura, escrever então...(coragem mesmo teve uma pessoa em me dizer, certa vez, que sou quase analfabeta), porém, quando vejo aqui suas grandes dicas percebo que ainda é tempo de aprender, que podemos sim aprender todos os dias, infelizmente me falta tempo (tempo mesmo, o trabalho é volumoso) para ler tudo que você indica, mas algumas coisas leio, outras coloco na lista de pendências e aos poucos percebo que ainda é tempo para aprender.
Agora vou lá, ler Xico Sá.
Bjos

Codinome Beija-Flor disse...

Voltei!
Li, Xico Sá!
Bibi tem jeito não? de colocar esse homem no horário nobre da "Globo", pra ensinar um bando de homem, virar, HOMEM? Tem jeito???
Bjo

Bia disse...

Concordo incondicionalmente, Segredos!
Xico deveria ser monumento nacional, protegido pelo Patrimônio Histórico, tombado e adorado!
Que bom que você gostou!
Beijos.

Iphigenia disse...

Chico eh muito espirituoso. Eu, entretanto, se ouvir um "a gente se veh", entendo exatamente "foi bom, meu bem, mas nao te quero mais. YO NO TE QUIERO MAS!!!"
E aih vou embora, porque a fila anda mesmo e ficar brigando por quem nao me quer, num mundo de quase 8 bilhoes de pessoas, eh burrice, autopiedade ou coisa de Amelia. Querida, pego minha bolsa, boto um perfume novo, encho de batom e recorro ao outro Chico: "que venho ateh remocando e me pego cantando, sem mais nem porque. E tantas aguas rolaram, e tantos homens me amaram bem mais e melhor que voce..."
Sou mulher, tenho dignidade, quem gosta de memorias eh minha avoh. Eu faco questao do meu futuro e luto por ele.