Páginas

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Uma lágrima para Cinília

Quando você tem 12 anos, as Invasões Bárbaras na Europa soam tão familiares quanto as propriedades medicinais da catuaba. Godos, Ostrogodos, Visigodos - para mim, esses povos nada mais eram que personagens dos quadrinhos de Asterix, junto com os Bretãos e os Belgas (alguém se lembra daquela história com os Helvéticos, o fondue e o pedaço de pão? Hilária!).

Bárbaros, Idade Média, feudos – é uma parte sombria da história mundial mas, para mim, ganhou cores reais na voz e interpretação de Cinília Tadeu Gisondi. Professora de história do Colégio Bandeirantes há 28 anos, ela faleceu no último sábado, aos 51 anos.

Cinília dava aulas para a sexta série como quem apresentava uma peça de teatro. Criava vozes, trejeitos, gritos de guerra para cada um dos povos invasores (“Vikings!”, ela clamava, abrindo a porta e entrando bombasticamente na sala). Mais tarde, quando já estávamos no colegial, Cinília nos apresentou ao Iluminismo, ao Positivismo. Aquela foi a primeira vez em que ouvi falar de Augusto Comte.

Ah, professora, tudo isso aconteceu há 20 anos, mas ainda nos lembramos. Lembramo-nos das lousas escritas de ponta a ponta, das longas provas com 40 testes e nem sei quantas questões. Lembramo-nos também curiosa história do seu nome. E mesmo depois de todo esse tempo, não posso evitar que meus olhos, que não são azuis como os seus, marejem cada vez que leio a mensagem que recebi ontem:

“O Colégio Bandeirantes comunica o falecimento da nossa querida e inesquecível amiga Professora Cinília Tadeu Gisondi ocorrido em 01/12/07 e informa que a Missa de 7º dia será realizada dia 10/12/07, segunda-feira, às 20h, na Igreja de São Judas Tadeu. Endereço: Avenida Jabaquara, 2.682 (próximo à estação São Judas do Metrô).”

Cinília, você faz parte da nossa história.

5 comentários:

Codinome Beija-Flor disse...

Bibi,
Lendo seu post,me fez recordar de alguns mestres que tive.
Que ela possa fazer parte da história em outros mundos.
Bjo

Gabi disse...

Fui formanda de 2004 do Band. Ela foi minha professora de História nos dois últimos anos da faculdade e ainda lembro da inesquecível aula sobre Guerra Mundial:

"Fechem seus cadernos agora! Guardem tudo já!"

Deixará saudades...

Textos bacanas os seus... achei sem querer procurando por Cinilia Tadeu no Google! rsrs

Bia disse...

É, Esfinge, grandes mestres têm o dom de permanecer conosco por muito tempo e de se transformarem em um pedaço de nós.
Cinília foi uma dessas pessoas. Impossível ficar indiferente...

Bia disse...

Gabi, bem-vinda ao Casco da Tartaruga!
Formei-me um "pouco" antes de você, em 1992, mas aposto que você desfrutou da convivência da Cinília de forma tão intensa quanto eu.
Volte sempre que quiser!
Um abraço da Bia

Andrea R disse...

Cinilia Gisondi. Minha amiga.

No...no lágrimas para Cinilia.
"UNA SONRISA PARA CINILIA"
Ella no hubiese querido que la recuerden con tristeza. Cuando ustedes recuerden a Ci, dediquenlé una sonrisa.

ANDREA ROMERO. (Buenos Aires- Argentina).